logoaafitpng.png

  

MANIFESTAÇÃO DO SINDICATO NACIONAL DOS AUDITORES FISCAIS DO TRABALHO

 

       Realizou-se no dia 28/01/2019, no auditório da PUC Minas a manifestação do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho por meio de sua Delegacia Sindical de Minas Gerais sobre o bárbaro assassinato dos Auditores Fiscais do Trabalho, João Batista Soares Lage, 50, Eratóstenes de Almeida Gonçalves, 42, Nelson José da Silva, 52, e o motorista Aílton Pereira de Oliveira, quando dirigiam para fiscalizar se havia trabalho escravo na fazenda dos “ poderosos Mánicas” em Unaí, considerados na região, como o “Rei do Feijão”. Nesta data, o crime completou 15 anos e os Mánicas, tidos como mandantes, continuam leves e soltos. A manifestação foi presidida pela delegacia Sindical de Minas Gerais na pessoa de Marcelo Campos que fez um minucioso relado da trajetória do crime e compuseram a mesa o ex-presidente AAFIT José Augusto de Paula Freitas e o professor da PUC Minas que pugnaram pela condenação dos mandantes, afirmando que os crimes não foram apenas contra os Auditores Fiscais e o motorista, mas também contra o Estado Democrático de Direito, pois eram servidores públicos e morreram na exação do dever.

 

       A tragédia de Brumadinho foi lembrada, sendo considerada com clareza, não só como ambiental, mas também como acidente do trabalho.

 

       O presidente da AAFIT Flávio José Gomes Guimarães, impossibilitado de comparecer ao evento, foi representado pelo Diretor Jurídico José Edson de Andrade Neves.

 

          Infeliz do povo que sai pelas ruas clamando pela Justiça...

 

 

 

A justiça atrasada não é justiça; senão injustiça qualificada e manifesta.

Rui Barbosa

 

 

 

José Edson de Andrade Neves
Diretor Jurídico AAFIT/MG

 

Logomarca.jpg